Título: Uma canção para a Libélula - Parte 2
Autor (a) : Juliana Daglio
Editora: Arwen
Nº de Páginas: 368
Compra: -------
  
Sinopse:
"Um segredo antigo, uma alma conturbada, uma comprida escada. Valéria agora está de frente com a verdade e com uma velha amiga, a Loucura.
Depois de um final aterrador, Uma Canção para a Libélula - parte I, deixou leitores ansiosos pela sua continuação. A história da jovem pianista Vanessa, e sua luta contra a Vilã Cinzenta, conquistou corações pelo Brasil inteiro e agora tem seu desfecho. A Menina que se encontrou com a Libélula viveu um sofrimento extremo, mergulhando em sua alma obscura para nos contar sua história.
Dentro de um casulo escuro os segredos permeiam, envenenando toda a existência dessa família marcada por uma morte precoce. Diante das rachaduras há uma descoberta incrível: asas de diamante, um voo alto em meio às nuvens de um entardecer cor de algodão doce, e o encontro mais importante de uma existência.
Seja forte agora, mas não contenha suas lágrimas. Ouça a Canção até o final."


Esse livro foi cedido para booktour pelo blog Biblioteca Lecture

Uma Canção para Libélula - Parte II continua com a história de Vanessa e sua luta contra a depressão. Se quiser saber mais detalhes sobre o 1º livro é só clicar aqui.
Na parte I, Vanessa é uma pianista de sucesso em Londres, mora com os tios e a prima e vive sua vida bem naquele lugar. Até que acontecimentos a levam a voltar para o Brasil, seu país de origem.
Para Vanessa colocar os pés novamente no Brasil trás dores, rancores e sofrimentos do passado, mas ela acaba indo, pois o amor que sente pelo pai é maior. Na sua estadia ela vai passar por momentos que nunca pensou que existiriam, descobertas que ela jamais pensaria e dores mais fortes. O livro gira em torno do caminho da depressão até a tentativa de suicídio.

Em Uma Canção para Libélula - Parte II se inicia a leitura na fala de Valéria, mãe de Vanessa, uma alcoólatra que não bate bem das ideias, ela tem atitudes diferentes nessa segunda parte e o que ela esconde? E por que esse sentimento pela filha?
É apresentado após o fatídico acontecimento com Vanessa. Após passar dias internadas na ala psiquiátrica ela volta para casa e começa um novo tratamento para depressão, recomeçando tudo de novo. Um caminho que ela tem certeza que não será fácil e requer muito apoio, daí surge o apoio de alguém que ela não imaginava que teria.
Nathan é um cardiologista que veio para o Brasil para iniciar uma pesquisa com outro médico. Esse que era amigo e médico de Marcos, pai de Vanessa. Nathan será a pessoa que ajudará Vanessa a melhorar e encontrar seu ponto de equilíbrio, obviamente não é algo fácil e rápido, é trabalhoso. Dessa ajuda surge uma amizade forte. Entretanto, Nathan guarda segredos do seu passado que machucam e que não são revelados como Vanessa quer, ela quer saber com quem está lidando, porém a negação de Nathan é mais forte.
De uma amizade vem o romance e disso muitas coisas serão reveladas.
Na verdade antes disso vem revelações que irão abalar não apenas Vanessa, mas sua família. Claro que a mais afetada é ela por estar em tratamento, e conseguir seguir em frente não é fácil.
Basicamente a história desse livro envolve a superação de Vanessa no mundo da depressão.
O que Nathan esconde? O que Valéria tem tanto medo? O que Vanessa vai descobrir? Você encontra as respostas nesse livro.
 "Você tem que reparar bem, tanto na vida quanto na estrada, olhar mais um pouquinho, pois sempre há de ter uma árvore roxa no meio da vegetação."
Quem leu a resenha de Uma Canção para Libélula - Parte I sabe como fiquei apaixonada, encantada e como me identifiquei com a história. Mas não foi bem assim com esse livro, Uma Canção para Libélula - Parte II foi uma grande decepção e uma dolorosa leitura e os vastos sentimentos que senti abalaram todas as minhas estruturas emocionais e isso de um lado negativo. MUITO NEGATIVO.
Antes de tudo eu não sou psicóloga e não trabalho nessa área tenho um conhecimento a partir do que li e o que passei.

Já nas primeiras páginas encontrei gatilhos. Palavras, pensamentos, ideias e falas que pode afetar muitas pessoas em tratamento e que me afetaram, foi um incômodo tão grande que eu tive que parar várias vezes para poder respirar e pensar "eu não sou assim, isso não vai acontecer", pois cada palavra mexia com meus sentimentos e era como um início de recaída. Uma das frases citadas foi "Você sabe que depressão não tem cura, não sabe?" PARA QUE ESSA FRASE AQUI?! Ela não tinha necessidade, eu não quero ler ou ouvir isso porque eu sei que a PORRA da minha doença NÃO TEM CURA! Quando eu li senti um aperto enorme no meu coração. Dos 5 anos que faço tratamento, das 4 psicólogas e de um psiquiatra eu NUNCA ouvi essa frase sair da boca deles. N-U-N-C-A.
Não sei se entendem minha relação a isso, mas isso pode machucar como me machucou. Tem sim a continuação dessa frase "Mas vejo que você assumiu o controle dela com muita garra. Pode haver recaídas, você tem que estar preparada para elas, vai ser um trabalho para vida toda..."Ok. Ela dá uma conclusão para a frase, mas também um problema para cuidar por toda a vida. Sabe aquela ideia de que a primeira impressão é a que fica? Comigo foi a primeira palavra que ficou e machucou demais, foi como pegar meu coração e despedaçar.

O livro tem um foco voltado à depressão, porém surge um romance entre Vanessa e Nathan e depois disso senti que a história voltou o foco neles, no romance. Não perdeu o sentindo total da história, mas tinha esse relacionamento entre os dois que levou as dúvidas, perguntas, vai e vem e segredos. O ponto principal é: o amor cura? Amar alguém vai curar? Uma pessoa pode curar seu coração? Na minha visão, não. Um amor não cura, ele pode auxiliar, mas nunca vai curar nunca vai ser o ponto Y da sua transformação, amar não significa cura, AMAR é um sentimento que desenvolve primeiro em si, se ame antes de amar outra pessoa, seja o amor da sua vida e depois o amor de alguém. O que aconteceu com Uma Canção para Libélula foi até onde esse amor foi e o que aconteceu do meio para o fim O AMOR foi muito enfatizado, mas ele não cura vindo de outra pessoa e sim quando você se ama é que você vai ver que as outras pessoas podem te ajudar.

Alguns personagens me incomodaram bastante. No primeiro livro eu senti uma aproximação com vários personagens, nesse por se tratar de algo mais a fundo eu senti muita raiva. Valéria, uma mãe desnaturada, alcoólatra que surta e do nada depois da tentativa de Vanessa "acorda" e ficava tentando uma aproximação com a filha. Mas quem realmente me surpreendeu foi Rebecca, prima de Vanessa, percebi que todos os comentários voltados para a depressão tinham um horror, um desgosto e me lembrou que já tinha ouvido isso várias vezes, especialmente quando ela joga que ela se esconde usando a depressão, guarda rancor sem motivos e que era hipócrita eu me senti pequena e ao contrário da personagem que se sentiu forte e que ia atrás de quem ama, eu fui andando para trás, inútil e pequena e simplesmente queria sumir. Para que alguém falar isso? Não ajuda, você vai caindo e caindo.

Nunca tive problemas com metáforas em livros, mas há uma saturação delas. Não era nada que não dava para entender, porém chegou um nível que cansava continuar a leitura.
Metáforas sempre dão aquele ar de frases bem elaboradas que faz você pensar. Entretanto chegou há um limite que dava preguiça de entender cada coisa, de questionar, então eu só lia sem parar para entender aquelas ideias.

Marketing. O livro é dividido em duas partes: I com 180 e o II 368 páginas. Do primeiro para o segundo é quase o dobro das páginas, quando o livro chegou eu fiquei surpresa com o tamanho dele, era uma diferença enorme. Daria muito bem para juntar em apenas um livro, mas como teve essa divisão eu vi mais um marketing para comprar o 1° e te deixar curiosa para saber o que acontece com o próximo livro. Apenas um livro seria necessário para contar toda a história, não sei se foi a partir da editora ou da autora a ideia da divisão, mas que foi desnecessária foi.
"Não havia saída para mim. Ou eu aceitava o tratamento,ou seria ainda castigada pela culpa ter infringido tal sofrimento a meu pai."
Esses foram os pontos que me incomodaram e que eu não gostei. Claro que tem pontos positivos no livro, sempre tento encontrar algo de bom nas leituras mesmo com aqueles que não me agradaram.

Mesmo que o romance tenha atrapalhado um pouco da história, o livro realmente irá descrever uma história sobre depressão, as recaídas e as superações. As partes motivadoras e que ensinam você a seguir em frente mesmo com tanta coisa acontecendo a seu redor e a resiliência são algo de extrema importância para o tratamento.

O que mais move o livro e que dá sentido ainda mais a ele são os segredos dos personagens. Você acaba ansiando saber os segredos de cada um que, por sinal, são muito bem contados e bem descritivos sem tantos exageros, mas com o essencial. Segredos que são ditos como se fossem uma história contada por qualquer pessoa.

Uma surpresa para mim foi Nathan, que foi alguém que não imaginava que ia ter importância nesse livro. Ele conseguiu me surpreender em vários aspectos, pensava que ele era tapado e pelo contrário, ele tinha uma inteligência hard, não desistiu em ajudar Vanessa mesmo ela andando para trás, foi uma pessoal de grande importância para o livro. E mostrou que a ajuda pode vir do inevitável, da pessoa que você menos imaginar.
A escrita da autora é fluida, você sente vontade de ler e não é pesada e chata, você sente a vontade de ler cada palavra sem se cansar, mesmo que para mim tenha sido difícil ler, a escrita da autora é de fácil entendimento.

Classificação: 

2,5

Bom, sobre as capas eu acho elas bonitas representa um pouco sobre o livro e as cores também, a diagramação é composta por libélulas em todas as páginas o que eu achei muito bonito, as páginas são amarelas e as letras são de um tamanho que não dificulta a leitura. Encontrei erros, creio que de impressão, algumas palavras estavam faltando algumas letras.
Bom, eu queria dizer que recomendo o livro, mas não. Infelizmente eu não recomendo essa continuação pelos motivos citados na resenha, mas se quiser ler boa sorte, vai precisar.
Saiu a algum tempo a versão em ebook na amazon com os os dois livros em um, pelo que li tem cenas extras de Nathan, vou deixar o link para quem quiser conferir.
Uma Canção para a Libélula - Volume Único 
Beijos e abraços
Lia 💜

55 Comentários

  1. Fiquei surpresa com tantos pontos positivos. Pelo que acompanhei e pelos pontos negativos, achei que ia ser só uma única estrela.
    Meio bad dizer isso, mas fico feliz que você tenha lido antes de mim e me alertado. Tenho os dois aqui na minha estante, mas pelo menos o segundo eu não pretendo ler mais :)

    ResponderExcluir
  2. Bom Dia.
    A história é bastante forte, mas confesso que tenho tido muito interesse em ler livros assim desde que eu li "Tartarugas até lá embaixo". Acho muito importante esse tipo de leitura, pois a depressão ainda é considerada "frescura" pela maioria das pessoas, e lendo algo assim verdadeiro e profundo as pessoas podem ter uma noção do quão difícil é para quem sofre do problema!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu tenho o primeiro livro aqui; ainda bem que não comprei o segundo ainda, hahaha. É uma pena que a leitura não tenha sido tão positiva assim para você, é bem ruim quando isso acontece. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  4. É preciso delicadeza para se contar uma história sobre depressão pq dependendo das palavras usadas, pode realmente despertar gatilhos em portadores. Pelo que parece a autora usou uma abordagem muito direta, pena a leitura não ter sido agradável.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lia. Achei a sua resenha muito bem fundamentada, eu tinha uma certa curiosidade com o livro, mas ao mesmo tempo um pé atrás com ele também. Sempre vi elogios nas resenhas dos dois volumes, mas ficava com a impressão de que alguma coisa me incomodaria... lendo a sua resenha eu finalmente descobri o que me incomodaria e agradeço muito pela sua sinceridade ao falar do livro e da sua impressão com a leitura. Um dos pontos que eu mais achei interessantes na tua resenha foi você falar que é preciso se amar primeiro para depois ser o amor de alguém. Alguns livros estão vendendo a ideia de que para sair de uma situação muito ruim ou se curar de algo emocional ou psicológico só com um novo amor é possível, puts!

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Acho que li a resenha do primeiro aqui mesmo, não tenho certeza, e lembro que fiquei bem curiosa. Mas notei, pelos pontos que destacou, que nesse segundo há certa romantização, além dos gatilhos. Isso me desanimou muito da obra e acho que não vou me arriscar em ler.

    Adorei a resenha e a sua sinceridade.
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Thalia, muito obrigada pelo seu tempo e por ler o livro,quando o segndi estava caminhando para vc eu imaginei que seria dificil para vc. Entendo seu ponto de vista, eu mesmo nao tunha visto por esse lado, mas do fundo do meu coração, desejo que vc seja curada,que voce olhe para dentro de vc e veja as cores e quem sabe, vc liberte suas asas e voe alto. Para cada leitor foi uma reação diferente, mas sua resenha me tocou e me olhar para um ponto que nao tinha visto, ainda assim ele é o meu favorito.
    Mais uma vez, obrigada por participar do booktour ;)

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Ainda não conhecia esse livro e gostei dos seus pontos positivos e negativos. Acredito que eu não vá ler o livro, mas o assunto abordado é bastante importante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Ótima sugestão de leitura ao ler acima me deu uma vontade e ler o livro na totalidade...

    ResponderExcluir
  10. Oi Lia! Não conhecia o livro ou a autora, mas só pelos seus pontos, já vi que não teria vontade de ler. Acredito que depressão seja um assunto forte e pesado, que é necessário ser debatido e explicado, para que as pessoas parem de achar frescura. Mas é uma linha tênue. Muitas vezes os autores perdem a mão e acabam perdendo a história. Não se preocupam com gatilhos, com consequências... é problemático. Gostei muito da sua resenha, achei bem verdadeira. Beijos

    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  11. Eu não conhecia (inclusive tenho que ler a resenha do primeiro livro), mas me interessei pela trama e a personagens. Porém lendo sua resenha e os pontos que te incomodaram, sinto que tbm me incomodaria. Ainda mai com gatilhos =/ Não sei se daria chance para uma leitura capaz de abalar (ainda mais) o meu psicológico.
    Obrigada pela sua sinceridade <3

    Beijos

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  12. Adorei sua resenha, a Juliana tem uma escrita envolvente e sem enrolação. Só li o primeiro livro e estou louco para ler esse. Valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Foi um misto de opiniões enquanto lia seu texto heheheh Iniciei a leitura achando o tema muito interessantes, depois gostei muito do relato da sua experiência ao ler o livro e de que teve que interromper a leitura em alguns momentos. Por último, ficou não fiquei com vontade de lê-lo.
    Grato por sua sinceridade no texto.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Olá!! :)

    Eu confesso que já ouvi falar imensas vezes deste livro, umas a falar maravilhas, outras nem tanto como a tua...

    Enfim, acho ótimo que a leitura flua tao bem e o qe tema seja bem desenvolvido, mas e pena esse excesso de metáforas, por exemplo.

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Eu sempre quis ler algo da Juliana Daglio e este está na minha lista faz tempo ( parte1) mas depois que degustei de Lacrymosa é este que estou ansiosa pra ler, até pq terror é mais minha praia.
    Como é bom ver sinceridade nas resenha, parabéns! Bjs

    ResponderExcluir
  17. Apesar de tantos pontos positivos,é perceptível que a leitura não te agradou.. Uma pena este livro ter te afetado negativamente, espero que livros melhores venham e te façam ficar com aquele sentimento que todos nós, leitores amamos... Aquela vontade de ficar gritando pro mundo AI MEU DEUS VOCÊS PRECISAM LER ISSO!!! hahaha!!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  18. Oi Lia, tudo bem?

    Tenho dois livros da Juliana, mas não esses da Libélula. Ainda não tive a oportunidade de conhecer a escrita dela, mas já ouvi muitos elogios no meio literário. Eu adorei a sua resenha, principalmente por narrar todos os pontos que não te agradaram e ficou nítido que não foi uma leitura sensacional para você. Eu, particularmente, gosto de livros que ativam os meus gatilhos, ao mesmo tempo que me sinto mal, consigo sentir mais a obra, mas creio que isso dependa do tamanho da dor ou trauma. Sou fissurada em livros que abordam a depressão, mas ter o livro em dois volumes inicialmente me incomodou. Vou conferir essa versão em e-book. Adorei a resenha e seu ponto de vista!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Que pena que a continuação desse livro não te agradou. Triste quando isso acontece. E o tema trabalhado é bastante promissor, o que deixa a gente ainda mais desapontada.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem? Desde que vi essa capa pela internet o livro me chamou atenção porém não sabia qual era o enredo. Uma pena um livro tão esperado pelos leitores ter tantos pontos fracos. Por isso grade parte das vezes mesmo ansiosa pela leitura vou de mente aberta para analisar a obra como um todo. O tema do livro é um assunto muito delicado e acredito que autores que escolhem falar sobre isso precisam ter sensibilidade e saber até onde podem ir. Ótima resenha. Beijos da corujinha, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  21. Eu li o primeiro livro e gostei, apesar de não ser o livro mais espetacular sobre o tema da depressão. O estilo da narrativa me incomoda um pouco, pois acho que a autora escreve de uma forma não fluída. Acho que é uma forma da deixar mais séria a narrativa. Quanto ao segundo livro: sempre achei que só precisava de um livro. Se a história tivesse sido lapidada melhor.
    Concordo demais com você em relação a crítica de que muitas autoras colocam o amor como um fator para cura de doenças, principalmente a depressão. Na vida real, uma relação pode até complicar mais o estado da pessoa. Eu te digo por experiência própria.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Olá, Thalia!

    Eu realmente sinto muito pela frase que você leu, pelo livro que não agradou tanto. Você estava comentando tão bem do primeiro, que eu acreditei que viria coisas boas sobre o segundo também. Mas de fato, pelas coisas que você pontoou não dá para defender. É preciso muito cuidado com as palavras e com a escrita sobre depressão (que é um mal que assola milhões de pessoas no mundo todo). A trama realmente parece ter uma boa "ideia", mas mal desenvolvida.

    Leitoras melhores virão.

    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Oie, tudo bom?
    Poxa, que pena que a continuação não te agradou... eu odeio quando isso acontece. Infelizmente as vezes lançam livros visando apenas o lucro, e acabam enrolando e distorcendo muito a história.

    ResponderExcluir
  24. Olá, tudo bem? Eu não conhecia os livros e o primeiro volume até me pareceu interessante. Um pena que o segundo não pareça ser tão bom assim. Acho importante abordar esses assuntos nos livros, mas de uma forma que ajude as pessoas e não deixarem elas ainda mais depressivas.

    Beijos,
    www.livroapaixonado.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oiieee
    Eu acho que quando um autor se dispõem a tratar uma doença, qualquer uma, seja depressão, seja qquer transtorno, anorexia, etc, deve-se toamr cuidado ustamente com as palavras, pois elas ferem mesmo e machucam e às vezes, aidna que a intenção não fosse ruim ou negativa, foi como vc disse, o que vai ficar é a primeira impressão, faltou repensar e rever, tomar mais cuidado já que se dispos a tratar um tema tão delicado. Quem arrisca tem que arcar com as consequências né. Uma pena que o livro não te agradou e que ainda por cima tem personagens que incomodam, joga a foco todo no romance, enfim, há livros e livros, espero que tua próxima leitura te conquiste mais.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  26. Que livro interessante! A história parece forte mas muuito boa! Eu fiquei super curiosa pelo primeiro volume

    ResponderExcluir
  27. Quero ler Uma canção para libélula desde i primeiro livro, gosto muito da premissa dele, mesmo que tenha lido resenhas com opiniões bem divididas. Fiquei impressionada por esse ter te decepcionado e de forma tão negativa. Mas entendo o seu ponto de vista em relação ao que leu, eu faço tratamento com psiquiatra a 2 anos e sei que algumas palavras me cortam a alma. Confesso que tentei me curar em muitos amores, mas como você disse, ele não cura. Gostei muito de sua sinceridade, mas lamentável de uma premissa dessa seja tratada de forma tão amadora.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Nossa e muito frustrante quando a gente aguarda por uma continuação e não gosta. Eu fiquei surpresa ombro sua coragem de emitir a sua opinião sobre o livro. As vezes a gente tem a impressão que a resenha tem sempre que ser positiva. Mas eu acredito que ela deva ser sincera. Super te entendo em relação às fazer que te levam para baixo acho desnecessário. Ótima e corajosa resenha Beijos

    ResponderExcluir
  29. Não li o primeiro livro e depois de conhecer as suas impressões sobre a leitura do segundo, perdi totalmente a vontade de lê-los. Aprecio e aplaudo a sua sinceridade ao descrever os pontos negativos da história. Se me deparo com uma leitura decepcionante, não consigo concluí-la.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  30. Que peninha, só em ler a resenha do primeiro livro fiquei super animada, depressão é um tema que me interessa demais e quando bem falado, pode cooperar para a busca por tratamento, uma pena essas frases pessimistas e esses pequenos gatilhos.

    ResponderExcluir
  31. Olá!
    Odeio quando a continuação não faz jus ao livro anterior. Uma pena que isso tenha acontecido com você. Talvez uma boa revisão ou orientação da editora pudesse ter evitado esses problemas.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  32. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro e nem a primeira parte, porém, lendo sua resenha eu percebi que é o tipo de leitura que me incomodaria muito. Depressão é um assunto muito sério e que precisa ser discutido, mas com muita responsabilidade e sensibilidade. Eu tenho pessoas próximas a mim que têm depressão e estão em tratamento e percebi que algumas coisas que você destacou iriam magoá-los também, caso eles lessem. Portanto, esses aspectos já ligaram meu sinal de alerta para não querer ler o livro.
    Outro ponto que não gostei foi o fato do romance ocupar tanto espaço. Acho muito errado transmitir essa impressão de que o amor de outra pessoa pode curar.
    Enfim, não me interessei pelo livro e lamento que a leitura tenha te decepcionado. No entanto, adorei a imparcialidade da sua resenha e o fato de você ter conseguido justificar bem os aspectos que não gostou, sem deixar de lado os aspectos positivos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  33. Uma pena que o livro não rolou tão bem como o esperado. Eu não comecei a ler ainda e na verdade nem sei se vou chegar a ler.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  34. EU ESTOU CHOCADA COM ESSA RESENHA!!!!!! :O

    Vou me aproveitar um pouco e contar a minha experiência pessoal, rs. Depressão pode não ter cura, mas diminui e fica de um tamanho insignificante. Eu já tive depressão de nível forte, tomava remédios diários e passava a maior parte do dia dormindo (remédios idiotas), isso me acalmou já que eu tinha tentado inclusive o suicídio (ainda bem que eu fiz errado, hoje sou grata pela minha burrice na época, rs.).
    Enfim, o amor cura sim. Não digo amor no sentido de relacionamentos romanticos, mas o amor em si. Eu não morava com a minha mãe quando tudo aconteceu, quando ela viu que eu realmente não estava bem, me levou para morar com ela. E caramba! Alguns meses depois parecia que eu tinha sonhado com tudo, eu era outra pessoa.
    Hoje ainda tenho minhas inseguranças, tem momentos que eu me sinto a pior pessoa do mundo, as vezes, do nada, tenho crises de choro. Mas nada se compara a angustia que eu sentia antes. Realmente, não devemos deixar a nossa felicidade depender de um relacionamento romantico, mas o amor, a amizade, as coisas pequenas, fazem uma grande diferença!
    ~~
    SOBRE A RESENHA EM SI: Confesso que não me senti interessada em ler o livro, não gosto de livros onde faz pessoas que se identificam se sentirem mal. Esses tempos eu li um onde a protagonista se achava gorda, tinha muitos problemas consigo mesma. A autora, ao invés de fazer ela superar e mostrar ao leitor que existem diversas outras qualidades, fez com que ela cometesse suicídio. Aí você imagina, uma pessoa que não se sente bem com o corpo lendo o livro, vai ficar pior ainda.

    Desculpa o "texto", precisava me expressar, ahahah.

    ResponderExcluir
  35. Oi, tudo bem?
    Estou bem curiosa para ler este e o primeiro livro dela. Tenho visto muitos elogios do quanto o livro é gosto de ler e envolvente! Amei sua resenha e anotei a dica! Espero poder ler em breve!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  36. Olá, tudo bom?

    É uma pena que você tenha gostado tanto do primeiro livro e se decepcionado com o segundo. É sempre horrível quando isso acontece e geralmente é por termos grandes expectativas e percebermos que os autores não conseguiram superar o primeiro volume. É realmente ruim que seja um livro que tenha gatilhos, a autora não avisou disso? Acho que o mínimo que pode ser feito é um aviso que, quem tem depressão, por exemplo, pode ser que essa não seja uma leitura apropriada. E foi muito falho falar que a depressão não tem cura. Não é legal colocar isso, ainda mais para as pessoas que não se tratam, pois podem dizer simplesmente "já que não tem cura, nem vou ao psicólogo". E se algum especialista falar isso, eu nunca mais voltaria nele. Isso que se trata de uma obra em que é voltada para o assunto, hein? Pode desinformar muita gente, então eu vou evitar ler, infelizmente.

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação, mesmo assim :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  37. Olá Lia,
    Ainda não li nenhum livro dessa autora, mas as pessoas elogiam as obras tanto que eu tinha vontade de fazer essa leitura, mas confesso que sua resenha me fez abrir os olhos para algumas coisas. Eu já li outros livros com gatilhos e confesso que isso me incomodou um pouco. Infelizmente, os pontos positivos desse livro não me convenceram a colocá-lo de novo na lista de desejados :(
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  38. Oi, tudo bom?
    Já li o primeiro livro dessa duologia e gostei bastante, ainda não tive a oportunidade de ler a continuação, mas ainda quero muito. Uma pena não ter sido uma leitura tão prazerosa para você.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  39. Olá!
    Eu não conhecia essas história, mas é uma pena quando a leitura não rende da forma como imaginamos. As vezes me dá uma angústia com certas leituras que tem tudo pra serem ótimas, mas acabam não sendo bem desenvolvidas e pelo visto essa trama que traz temas importantes não foi bem aproveitada.
    Gostei da sua resenha sincera, mas acredito que não pegaria para ler depois dos seus pontos negativos.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  40. Oi! Tudo bem?

    Não conhecia a obra, apenas a autora!
    Confesso que me deu um pouco de agonia ler os pontos negativos que foram citados e achei muito pesado sobre como a depressao foi abordada na obra!

    Uma pena sua experiência não ter sido satisfatória com o livro!

    Acredito ser desnecessário também duologias terem uma descrepancia imensa com a quantidade de páginas, sendo que ficaria tudo muito bem em um volume único!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  41. Oie! Tudo bem?

    Acho as capas dessas obras muito bonitas, mas eu jurava que eram histórias de fantasia e não mais reais como pude notar na sua resenha e concordo com você em muitas partes, principalmente em relação as palavras que são gatilhos, acredito (por experiencia própria) que quando encontramos frases como você citou acima sobre uma doença, elas não ajudam, muito pelo contrário só nos deixam mais ruim que já estamos, por causa disso irei passar a dica e é realmente uma pena que a autora tenha pecado nessa parte com a história, espero que sua próxima leitura seja mais satisfatória!

    Bjss

    ResponderExcluir
  42. Oii! Poxa, que pena que o livro não foi tão bom quanto o primeiro. Acho que têm alguns livros que realmente dificultam a nossa leitura, ainda mais quando tratam de um tema de uma maneira bem errônea e que você não se sente confortável de ler. Principalmente sobre a depressão, eu ainda não li esse livro, mas também fiquei indignada com essa frase, que acabou sendo bem desnecessária. Apesar disso, achei a sua resenha incrível e gostei de saber os seus pontos negativos e positivos sobre a obra. Bjss!

    ResponderExcluir
  43. Oie!
    Eu ainda não li nenhum dos livros, mas concordo com você, os autores precisam ter cuidado na hora de escrever uma história que traz como enredo, a depressão.
    Confesso que fiquei um pouco desanimada para ler o livro, quem sabe mais para frente eu fique curiosa para conferir. Um outro momento.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  44. Olá
    já ouvi falar muito sobre a história e enredo do primeiro livro e vi que muita gente se empolgou com o segundo livro, imagino que deva ser uma história linda pelo que li do enredo e dos elogios. A autora parece ser muito talentosa, espero poder ler os livros em breve

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  45. Olá, tudo bom?0
    Nunca havia ouvido falar sobre esses livros e confesso que poderia até ser interessante, mas, vendo sua decepção com a parte dois, já me desanimei muito! Um ponto que acho inaceitável é esse uso de situações gatilho que sequer são sinalizadas sabe? Acho isso de uma irresponsabilidade sem tamanho, então só por aí já caiu por terra qualquer vontade que poderia surgir em relação a leitura. Outro ponto que não curti foi este de deixar a temática principal de lado e focar só no romance. Enfim! Passo a leitura da vez.

    ResponderExcluir
  46. Oie!!!
    Adorei a sua sinceridade na sua resenha e falo que este tipo de assunto não me atrai muito em um livro, mas admiro a coragem da autora em abordar o tema da Depressão no livro!! Espero que a sua próxima leitura seja maravilhosa!!

    ResponderExcluir
  47. Oi, tudo bem?
    Já ouvi falar dessa história apesar de não ter lido. Tenho dificuldades de ler histórias que retratam doenças emocionais e nem sempre acabo a leitura. A maioria das vezes o que é retratado traz certa superficialidade no que realmente é lutar contra depressão, não estou dizendo dessa história, só explicando minha resistência. E quanto a sua resenha, espero poder acompanhar mais o seu blog porque amei a maneira sincera e direta que detalhou e ainda mais pontos que separou para trabalhar! Parabens, beijos!

    ResponderExcluir
  48. Oi Lia!
    Me amassa que eu tô passada? Menina que resenha foi essa? hahahahaha ainda sobrou estrela depois de tanta coisa negativa? Olha, eu já vi inúmeras resenhas desse livro, e confesso que tinha certa curiosidade, mas a sua sinceridade? Acabou totalmente com ela, nada de melação ou muitos elogios, a pura verdade de alguém que conhece o mundo real da doença. Meus parabéns, e por mais sinceridade no nosso mundo literário.

    Bjs

    ResponderExcluir
  49. Oi! Que pena que o segundo livro acabou não sendo positivo para você. Bom, eu li a versão única na Amazon, e posso dizer que pelos seus comentários, muita coisa foi mudada, por que não encontrei essa dureza da rebecca sobre depressão, e achei interessante as tentativas de aproximação da Valéria, e não achei muito forçadas. Quanto as palavras sobre depressão, que triste que você reagiu de uma forma dolorosa a elas, infelizmente palavras nos afetam de diferentes modos e é péssimo quando não é de um modo bom. Provavelmente você não vai querer embarcar em uma nova leitura do livro, mas recomendo a versão da amazon, está com escrita bem impecável e sem erros.

    ResponderExcluir
  50. Olá, achei sua resenha muito completa e que ela passou muito sentimento, senti como você se sentiu incomodada com o jeito que a depressão foi retratada nesse livro e também fiquei bem indignada com o fato de terem usado esse clichê de que o amor cura tudo até uma doença tão grave como a depressão, isso mostra como a maioria das pessoas tratam essa doença como algo que pode acabar facilmente se o paciente se "esforçar", algo que sabemos que não é verdade, espero que o livro não tenha a machucado demais, fique bem <3

    ResponderExcluir
  51. Oi Lia, como está?
    É MUITO complicado quando um livro faz a gente se sentir extremamente mal, ainda mais quando é sobre depressão, uma doença tão difícil. A tua resenha me deu a impressão que a autora parece ter cometido erros muito crassos na abordagem da doença, o que contribuiu para tu não gostar do livro. Que devo dizer, eu também não iria gostar se lesse.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  52. Olá!
    Já tinha visto esses livros sendo bem comentado, e sempre tive a curiosidade de ler, mas sempre adio, os pontos levantado são ótimo, tudo que é demais em um livro acaba deixando a leitura arrastada. Também não entendi porque separar os livros, é mesmo um marketing rs' não sei se leria por agora, mas ainda tenho a vontade de conferir!

    beijos!

    ResponderExcluir
  53. Olá,

    É uma pena que o livro tenha gatilhos para você, concordo em parte com a frase, mas aí é algo meu, nem todo mundo concorda. Não sinto interesse nesse livro pelo simples fato dele fazer parte de uma série, e no momento não quero começar novas, pois tenho muitas iniciadas e não finalizadas.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  54. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  55. gostei da sua resenha, até me despertou a vontade de ler esse livro, mesmo não sendo do meu nicho de preferencias. rsrsrs

    Insta: @migueljr.oficial

    ResponderExcluir